17 de mar de 2012

15/09/2011


Nessa madrugada enquanto caminhava sem destino
O vento empurrou o meu cabelo
E me disse coisas de amor
Foi tão rápido o que aconteceu
Que só perdi quando era dia, que o meu coração não era mais meu.

Nicoly em 15/09/2011

4 de mar de 2012

Consciência


O seu destino não está escrito.
Linhas finas de um bordado bem feito, cruzadas e embaraçadas, numa perfeita confusão.
As almas perdidas em um domingo tranquilo não tiveram aquele fim que você pensa.
A mente sã não muda, as pessoas loucas vivem, alguém como eu espera a perfeição.
Não existem amores eternos, nem olhares sinceros, o final feliz está prezo nas paginas dos contos infantis.
Assas dariam-me a liberdade para uma futura infelicidade, mas eu queria voar!
Tocar o céu e alcançar o infinito. Estou fazendo tudo isso, mas há muita coisa faltando...
As tormentas na alma apagaram-me o brilho. Sem sentido apenas sobrevivi.
E agora aqui, a escrever essas palavras sem sentido para muitos, penso no que fazer...
Não irão esperar que eu volte, todos irão seguir em frente. O que fazer?
As lágrimas caindo pelo meu rosto não me deixam esquecer.
E a culpa por atos insanos, a verdade dita, a fantasia perdida...
Não consegui dizer sobre aquele sentimento preso em mim...
Não poderei dizer, não quer que exita!
As paginas borradas de um livro em branco.
Deixe como está. Deixe-me pensar!
Talvez eu possa voltar, e fazer o que é certo para mim.
Deixe-me pensar!
Talvez eu possa ser quem eu sou de verdade!
Deixe me pensar! Mas não me deixe ir!

Nicoly